terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Sobe para 21 o número de mortos por febre amarela no estado

A Secretaria de Estado de Saúde informou, na noite desta segunda-feira, (05/02) que subiu para 21 o número de mortes por febre amarela em todo o estado. Segundo o boletim epidemiológico, já são 47 casos da doença registrados em 15 municípios, entre eles Angra dos Reis e Paty do Alferes, que pela primeira vez entraram na relação da pasta.

As novas mortes por causa da doença foram registradas em Angra, Cantagalo, Teresópolis e Friburgo. De acordo com o boletim, cinco cidades tiveram casos de macacos mortos com o vírus da doença: Niterói, Angra (Ilha Grande), Barra Mansa, Valença e Miguel Pereira.

Em Campos para quem ainda não foi imunizado contra a doença, a vacina continua sendo aplicada das 8h às 16h, nos seguintes polos: Centro de Saúde, na sede da Secretaria Municipal de Saúde; Centro de Saúde de Guarus; CRTCA I; CRTCA II; Penha; Farol Lagamar; Morro do Coco; Tocos e UPHs de Travessão, Ururaí, Santo Eduardo e São José.

A Prefeitura de Angra dos Reis pediu que os moradores e turistas que não tomaram a vacina contra a febre amarela evitem ir para regiões de matas e cachoeiras, principalmente a Ilha Grande. A recomendação, divulgada nesta segunda-feira, ocorreu após a confirmação de uma morte por febre amarela na área. O paciente estava internado no Hospital Geral da Japuíba. Também foi confirmado a causa da morte de um macaco, sendo ambos os casos na Ilha Grande.

"Este é o primeiro caso confirmado de febre amarela em humanos em Angra dos Reis e lembramos que somente após dez dias da vacinação a pessoa está seguramente imunizada", explicou, em nota, a prefeitura. A Secretaria de Saúde informou ainda que monitora o cenário epidemiológico da febre amarela no estado do Rio e "no decorrer deste período manteve a Vigilância em Saúde alerta, encaminhando os macacos encontrados mortos, que se adequavam aos critérios, para análise".

O órgão também pediu que as pessoas não imunizadas evitem as áreas de mata. "Diante do novo cenário recomenda-se a vacinação de toda a população a partir dos nove meses de idade, inclusive gestantes, idosos e nutrizes, ressalvadas as contraindicações absolutas", acrescentou. Fonte: O Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário