sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Garotinho alega agressão física e é conduzido à delegacia

O ex-governador Anthony Garotinho (PRB) foi levado da cadeia em Benfica, onde está preso, para a 21ª DP (Bonsucesso) no fim da manhã desta sexta-feira (24/11) para prestar depoimento. Ele diz ter sido agredido no presídio, mas agentes da Seap dizem que ele se autolesionou.

Garotinho chegou no local por volta de meio-dia e ainda prestava depoimento por às 12h40, após entrar pela porta dos fundos. De acordo com o ex-governador, a cela foi invadida na madrugada — mas não se sabe por quem. O Ministério Público está no presídio realizando investigação para saber se procede a informação de agressão. No local há quatro câmeras no pavilhão em que o ex-governador está preso. 

Segundo um agente da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), o procedimento para casos de agressões é levar a vítima à delegacia mais próxima. Lá, Garotinho teria chegado com o dedo do pé e o joelho ralados. Ainda de acordo com o funcionário, há a suspeita de que ele tenha pisado no próprio pé, se jogado no chão e batido com o joelho na parede.

O depoimento foi prestado ao delegado assistente Carlos Cesar. Garotinho vestia roupa comum.
Defesa temia risco à integridade física. 

Na quinta, o advogado de Garotinho afirmou que temia por sua integridade física. Segundo Garotinho, foi ele quem denunciou integrantes da quadrilha de Sérgio Cabral (PMDB), que também está no local.

“Eu perguntei se ele encontrou com algum preso da (Operação) Lava Jato durante o banho de sol e ele falou que não. Mas ele disse que teme pela segurança dele porque está em um corredor sozinho e em uma cela sozinho. É um corredor intermediário e o próximo seria o corredor dos presos da Lava Jato”, disse Carlos Azeredo.

Garotinho e sua esposa, a também ex-governadora Rosinha Garotinho, estão presos por corrupção e crimes eleitorais, mas negam ter cometido irregularidades.

Azeredo afirma também que eles não têm privilégios no local, mas que correm risco de vida e têm medo. A defesa já havia afirmado que tentaria um habeas corpus para os dois clientes alegando risco à integridade física.

MP também quer transferência

Ainda nesta sexta-feira o Ministério Público Estadual do Rio deve pedir a transferência de Garotinho. Mas o motivo é outro. Os promotores entendem que os crimes supostamente cometidos por ele não têm ligação com a Lava Jato. Por isso, ele não deveria ficar no presídio em Benfica, e sim em uma cadeia comum. Fonte G1 Rio de Janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário