sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Convenção Batista barra pastores e cantores que cobram cachê

Um documento publicado pela Convenção Batista Nacional (CBN) proíbe que pregadores e cantores que exigem cachê se apresentem em celebrações das Igrejas Batistas da denominação. Com as eleições se aproximando, a entidade também aprovou uma medida que impede propagandas políticas em suas instituições. Como a CBN não tem autonomia de criar normas, as medidas servem como parâmetro para as igrejas filiadas.
Da esquerda para a direita, os cantores gospel André Valadão, Eyshila, André Valadão e Aline Barros

Segundo o pastor Edmilson Vila Nova, presidente da CBN, a medida não proíbe o pagamento de despesas de viagem e hospedagem dos convidados, nem impede a oferta dos fiéis que quiserem doar algum valor ao pregador ou cantor. O objetivo é que a CBN e suas instituições não sejam coniventes com o comércio da fé.

O secretário-geral da CBN do Espírito Santo, Robson Alves, avalia as medidas de forma positiva, mas reforça que as igrejas têm autonomia de tomarem suas próprias decisões.

"Eu acredito que as igrejas vão seguir as medidas porque infelizmente o mercado gospel é uma realidade que nós não coadunamos. Nós entendemos que um dos princípios cristãos é o da gratuidade cristã. Aquilo que recebemos de graça, temos que compartilhar de graça", explicou.

Ainda de acordo com Alves, a cobrança acontece mais na área da música porque se tornou um produto e as pregações são menos comerciais. Porém, a convenção estadual não tem interesse de pagar cachê e a relação com os convidados é de irmandade.

O documento é considerado um parâmetro para as igrejas filiadas à Convenção Batista Nacional, mas existem outras denominações da Igreja Batista que não são regidas, necessariamente, pelos mesmos princípios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário