sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Policiamento tranquilo nesta sexta-feira no Rio

O policiamento está normal nesta sexta-feira (10/02) no Rio de Janeiro, apesar de informações transmitidas pelas redes sociais nos últimos dias anunciando que a Polícia Militar faria uma paralisação nesta sexta-feira (10), com os militares ficando nos quartéis, a exemplo do que ocorre há quase uma semana em Vitória.

Na capital do Espírito Santo, parentes de militares impedem a saída das equipes de policiais para o patrulhamento de rotina.
Nas quase 100 unidades operacionais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o policiamento transcorre sem problemas. O batalhão de Volta Redonda, no Médio Paraíba, é que teve o maior número de familiares de policiais na porta de entrada da unidade, mas sem impedir a saída dos carros para o patrulhamento na cidade.

Em outras unidades na capital fluminense, o número de parentes é reduzido e ninguém tentou impedir a saída das equipes para o patrulhamento de rotina.

Como medida de prevenção e conscientização da tropa, todos os comandantes das unidades da Polícia Militar permaneceram nas unidades operacionais de ontem para hoje com a finalidade de explicar aos comandados a importância da tropa nas ruas.

Em nota, a Polícia Militar informou que “a manifestação de esposas e parentes de policiais militares que acontece em algumas unidades da PM segue pacífica. O patrulhamento está normal em todo o estado”.

O Comando-Geral da PM informou nesta quinta-feira (09/02), por meio de sua assessoria de imprensa, que “tem mantido diálogo com a tropa sobre as graves consequências que envolvem uma paralisação”.

Em Campos: Um grupo de mulheres, familiares de policiais chegou ao 8º Batalhão de Polícia Militar de Campos, por volta das 08h, desta sexta-feira (10/02). Com cartazes, as manifestantes exibiam as reivindicações feitas pelos militares em frente ao BPM, na Rua Tenente Coronel Cardoso.

Durante a manifestações, pessoas que passam em frente ao batalhão apoiam e criticam a ação dos familiares de policiais militares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário