quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Polícia Federal avança na operação do uso de programas sociais na eleição de Campos

A Polícia Federal realiza desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (26/10) mais uma operação relacionada ao uso do programa social Cheque Cidadão para compra de votos na eleição deste ano. Ao todo foram expedidos 10 mandados de prisão temporária e quatro de prisão preventiva. Segundo o delegado Paulo Cassiano, o vereador reeleito Kellinho (PR) e a coordenadora do programa Cheque Cidadão, Gisele Koch Soares estão entre os presos na ação.

Ainda de acordo com o delegado, a vereadora eleita e ex-secretária Linda Mara (PTC) e a ex-secretária de Desenvolvimento Humano e Social da Prefeitura de Campos, Ana Alice Ribeiro Lopes, não foram encontradas e tem 24 horas para se apresentar à PF para não serem consideradas foragidas.

Paulo Cassiano explicou que as prisões dos vereadores Miguelito (PSL) e Ozéias (PSDB) passaram de temporárias para preventivas e que agentes da PF continuam realizando diligências pela cidade para cumprir mandados de condução coercitiva.

"Percebemos que muitas pessoas investigadas, muitos vereadores, estão alterando seus hábitos para se esquivarem das ações da Justiça. Muitos estão dormindo fora de casa, o que consideramos grave. É importante que as pessoas que não foram encontradas se apresentem na unidade da Polícia Federal mais próxima", ressaltou Paulo Cassiano.

Questionada sobre quem permitia a inclusão dos nomes no cadastro do Cheque Cidadão, a delegada Carla Dolinski informou que a polícia está investigando os integrantes do esquema, sem citar se as ordens partiam de dentro da própria secretaria, de outro setor da prefeitura, ou de vereadores.  

Esta já é a terceira operação da PF envolvendo o Cheque Cidadão. No dia 23 de setembro foi deflagrada a Operação Vale Voto, onde foram presas a secretária de Desenvolvimento Humano e Social da Prefeitura de Campos, Ana Alice Ribeiro Lopes, e a coordenadora do programa Cheque Cidadão, Gisele Koch Soares. Na última quarta-feira (19/10), a Operação Chequinho pendeu os vereadores Miguelito (PSL) e Ozéias (PSDB). Fonte Ururau

Nenhum comentário:

Postar um comentário