sexta-feira, 10 de junho de 2016

Ex-prefeito de Campos é preso por envolvimento em exploração sexual infantil

Nelson Nahim Matheus de Oliveira, ex-prefeito e ex-vereador de Campos, no Norte Fluminense, foi uma das 12 pessoas presas, nesta quinta-feira, em Campos, acusadas de crimes de quadrilha armada, estupro de vulnerável e exploração sexual de crianças e adolescentes. Nahim foi preso em casa. Ao todo, 14 pessoas tiveram as prisões decretadas pela Justiça, após serem condenadas a penas que variam de um a 31 anos de prisão pela juíza Daniela Barbosa Assumpção.
Nelson Nahim, irmão de Anthony Garotinho, foi preso após ser condenado pela Justiça
Todos ainda podem entrar com um recurso de apelação contra a sentença, que será julgado em 2ª instância.

Entre os condenados no processo, que ficou conhecido como “Meninas de Guarus”, estão além de Nelson Nahim o ex-vereador Marcus Alexandre dos Santos Ferreira, o ex-presidiário Leilson Rocha da Silva, mais conhecido como “Alex”; o policial militar Ronaldo de Souza Santos; e o empresário Renato Pinheiro Duarte.

Duas das 14 pessoas que tiveram as prisões decretadas continuam foragidas. Gustavo Peçanha e Dovany Salvador não foram encontrados por agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e da Coordenadoria de Segurança e Inteligência do Ministério Público (MP) .

A denúncia feita pelo MP aponta que os réus mantinham e exploravam crianças e adolescentes, entre 8 e 17 anos, numa casa em Guarus, distrito de Campos dos Goytacazes, para fins de prostituição e exploração sexual. Ainda de acordo com os autos, o local era mantido com as portas e janelas trancadas, com correntes e cadeados, sempre sob vigília armada, e as vítimas obrigadas a consumir drogas, como cocaína, haxixe, crack, ecstasy e maconha, sem que pudessem oferecer resistência.

De acordo com as investigações, as crianças e adolescentes chegavam a fazer até 30 programas sexuais por dia. As vítimas eram levadas para encontros em motéis da cidade. Por cada programa, eram cobrados valores que variavam entre R$ 80 a R$ 300.

Acusado, entre outras coisas, de ter mantido relações sexuais com uma adolescente de 15 anos, Nelson Nahim foi condenado a uma pena total de 12 anos de prisão. O empresário Renato Pinheiro, que segundo sentença judicial, é sócio de alguns dos motéis para onde as menores eram levadas, teve a pena arbitrada em 14 anos de prisão .

A maior pena ficou com o PM Ronaldo de Souza Santos. Além de ter determinado a exclusão dos quadros da PM, a Justiça também condenou o policial a uma pena total de 31 anos de prisão. Fonte: Extra.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário