segunda-feira, 30 de março de 2015

Prática de atividade aeróbica reduz chance de câncer 0 Comentários

Mulheres, atençao! Uma pesquisa recente constatou que bastam apenas poucas horas de atividade aeróbica por semana para reduzir o risco de câncer.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 31% da população do mundo não pratica atividade física e o sedentarismo está associado a 3,2 milhões de mortes anuais, sendo 2,6 milhões em países pobres e em desenvolvimento.

Os especialistas orientam a prática de atividade aeróbica por pelo menos 150 minutos semanalmente. Os exercícios aeróbicos aumentam o consumo de oxigênio e a frequência cardíaca. Além disso, exercícios como corrida, caminhada, natação e ciclismo melhoram a qualidade do sono, o humor e evita a depressão e o estresse.

Os exercícios podem diminuir a fadiga de pacientes com câncer. O tratamento do câncer frequentemente traz uma sensação de fadiga muito forte, que vem junto com a quimioterapia ou radioterapia. Os paciente relatam que esses sintomas duram meses ou até mesmo anos após o tratamento. Uma revisão de trabalho científico já feito sobre esse tema foi analisada pelos especialista da Cocker Labory e mostrou que o treinamento aeróbico pode aliviar esses sintomas.

A pesquisa envolveu 56 estudos que somados contam mais de quatro mil participantes, todos em tratamento por algum tipo de tumor maligno. Do grupo estudado, a metade era com pacientes com câncer de mama. Os tratamentos envolviam exercícios aeróbicos como caminhada, bicicleta e também exercícios para a resistência, como o uso de pesos.

Os exercícios eram feitos antes e durante todo o tratamento do câncer. As conclusões foram de que o treinamento aeróbico reduz de forma importante a sensação de fadiga e fraqueza que o tratamento oncológico traz.

Nos exercícios de resistência, apesar de efeitos positivos na composição corporal dos pacientes, não mudaram a sensação de fadiga dos mesmos. Tudo isso mostra a importância que a atividade física deve ter no planejamento estratégico que é feito para os tratamentos dos pacientes com câncer.  Fonte: www.combateaocancer.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário