domingo, 31 de agosto de 2014

Encontro da Cultura com Jandira Feghali debate o cenário no Rio de Janeiro

A ultima semana foi de intenso debate sobre a perspectiva Cultural no Rio de Janeiro e no Brasil sobre a plataforma para a área traçada pela deputada federal e candidata à reeleição, Jandira Feghali. O evento aconteceu no Bistrô 00, na Gávea, Zona Sul do Rio e reuniu diversos seguimentos da área de todo o estado do Rio de Janeiro, tanto relacionadas à arte, dança, teatro quanto à música e ao cinema.

Autora da recém-sancionada ‘Lei Cultura Viva’, co-autora do Vale-Cultura e do Dia do Teatro Acessível, além de tantas outras ações que já tramitaram ou ainda tramitam no Congresso Nacional, Jandira Feghali abriu sua fala sobre como acredita na Cultura como ferramenta transformadora e essencial para o exercício da democracia: “Infelizmente a Cultura ainda é um segmento que fica à margem das ações do Congresso. Não podemos tratar a Cultura como algo que deve ser acessível, pois a Cultura está inerente ao ser humano. A Cultura é tão necessária quanto a Saúde, Educação e Segurança”, destacou a parlamentar.

Jandira Feghali já foi secretária municipal de Cultura do Rio – onde marcou a gestão com a ocupação dos espaços urbanos, descentralização dos equipamentos culturais e democratização da gestão e dos recursos. Dentre outras ações, criou as arenas cariocas da Pavuna, Guaratiba, Madureira e Penha, reabriu o Imperator (Centro Cultural João Nogueira), criou o Lapa Legal e o Viradão Carioca. Realizou a 1ª Conferência de Cultura e criou o Conselho de Cultura da cidade do Rio.

“Podemos contar nos dedos os parlamentares que colocam a Cultura como prioridade, como eixo central. Jandira Feghali é uma das poucas, senão a única que luta pelo segmento e por aqueles que vivem dele”, ressaltou o produtor cultural, Alexandre Santini.

Durante o descontraído bate-papo, Jandira também debateu com os presentes alguns dos desafios para o próximo mandato: “Temos muito que avançar na luta pela Cultura. Dentre os nossos desafios estão: a desburocratização; a sustentabilidade, formação e fomento à Cultura. Precisamos que artistas, artesãos, músicos, cineastas e todos aqueles envolvidos com Cultura consigam se sustentar com seu trabalho”, pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário