sábado, 14 de junho de 2014

" No Brasil as pessoas vivem muito melhor hoje do que há 10, 20 anos" diz primeira ministra Alemã

Pouco antes de embarcar para o Brasil, a chanceler federal (primeira ministra) Angela Merkel manifestou preocupação com os últimos protestos no país. Em uma entrevista divulgada no seu site, ela afirmou que quer ouvir da presidente brasileira Dilma Rousseff a sua opinião sobre os motivos que tem levado as pessoas às ruas para protestar.

O encontro com a presidente Dilma será amanhã, em Brasilia. Antes estava previsto que a presidente brasileira assistiria à partida Alemanha x Portugal, segunda, em Salvador, junto com a chanceler alemã, mas, como foi divulgado, Dilma teria cancelado a sua visita ao estádio. O governo alemão não fez comentários sobre a decisão da presidente.

"Eu estou naturalmente curiosa em ouvir: Quais são os problemas? Também do ponto de vista da presidente. Naturalmente, o Brasil teve um desenvolvimento intenso, de forma que as pessoas vivem muito melhor hoje do que há 10, 20 anos. Por outro lado, há ainda muito o que se fazer. Por isso, a Alemanha tem uma cooperação estreita com o Brasil", disse Merkel, lembrando que o fato de que o Brasil ainda tem favelas mostra que o país ainda tem muito o que fazer.

"Certamente que surge a indagação para as pessoas, sobre como vai ser daqui a alguns anos? A liderança política no Brasil precisa e, certamente, vai ter uma resposta", concluiu Merkel, na entrevista onde ela mesma fez as perguntas, que foram porém lidas pelo cientista político Dennis Hallac.

Além da conversa com Dilma, Merkel tem na sua agenda um compromisso que considera ainda mais importante, torcer pela seleção alemã no seu primeiro jogo da atual copa, na próxima segunda, em Salvador, contra Portugal.

- Por outro lado eu sou naturalmente uma torcedora, como milhões de outras pessoas. Com a minha visita, quero apoiar a seleção, mas por outro lado mostrar o meu reconhecimento ao anfitrião Brasil. Apesar de toda a crítica, a copa é um grande acontecimento, com o qual o Brasil se apresenta para o mundo inteiro - concluiu Merkel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário