terça-feira, 10 de junho de 2014

Casal completará 74 anos de casados

Você já imaginou passar 73 anos da sua vida ao lado da pessoa amada? O aposentado Virgílio Forti, de 97 anos, e a aposentada Catarina Degasperi Forti, de 95 anos, nascidos em Piracicaba (SP), no bairro Santa Olímpia, vão comemorar em junho as bodas de macieira, ou seja, 74 anos de matrimônio. O casal atribui o sucesso da união à paciência, ao amor, ao respeito e ao carinho um com o outro. E quem acredita que a vida a dois sempre foi um “mar de rosas” se engana. Durante a trajetória conjugal, eles lutaram contra a fome e superaram a perda de cinco filhos.

"Quando discutíamos, um de nós sempre buscava ceder. Quando eu estava certa ele acabava me compreendendo e me dando razão e eu fazia o mesmo. Sempre fomos muito companheiros e continuamos até assim até hoje", afirmou Catarina.

Um dos netos do casal, Rudinei Stenico, de 31 anos, disse que os avós são carinhosos. “Eles são super preocupados. Onde um está o outro está também. Quando a minha avó vai na chácara em Santa Maria da Serra (SP), meu avô fica bravo e pede para ela ficar com ele. É um amor muito bonito entre os dois”, relatou.

Catarina contou que os dois iniciaram a paquera na porteira da fazenda onde ela morava. Todos os dias ela ficava esperando o amado passar por ali. Forti a pediu em namoro para a mãe, já que seu pai tinha falecido, e logo em seguida os dois se casaram, em junho de 1940.

Após o casamento, ambos foram morar em uma fazenda em Águas de São Pedro (SP). “Nós morávamos em uma casinha de barro e vivíamos do corte de eucalipto. Depois de cinco anos nos mudamos para Charqueada (SP), onde trabalhamos em uma usina e depois em uma olaria. Neste período tivemos cinco filhos”, relatou Catarina. O casal retornou para Piracicaba para morar com a mãe de Catarina, em Santa Olímpia, onde nasceu o restante dos filhos (14 no total, sendo dois homens e 12 mulheres). Cinco filhos, no entanto, já faleceram.

A união da família também tem papel importante na relação do casal. “Seguimos uma tradição: os mais velhos erguem suas casas em determinado lugar e os mais novos se instalam ao redor para que os filhos fiquem perto dos pais", afirmou o neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário