quarta-feira, 14 de maio de 2014

Alianças emperram no Rio, e só PMDB consegue formar ‘chapão’

"Salada de fruta?!": O PMDB fluminense já trabalha com a possibilidade de unir no palanque do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, pré-candidato ao Palácio Guanabara, três nomes que vão concorrer à Presidência da República: Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Pastor Everaldo (PSC). Em reunião recente com prefeitos, Pezão e o ex-governador Sérgio Cabral colocaram em pauta o palanque triplo. A proposta, que impulsionaria a candidatura de Pezão — que já atrai 15 partidos na aliança —, repercutiu entre as legendas adversárias. Petistas do Rio consideraram o assédio do PMDB aos candidatos ao Planalto uma traição por parte da legenda, aliada nacional de Dilma.

A pouco menos de cinco meses das eleições, Pezão ainda não decolou nas pesquisas de intenções de voto. A estratégia do PMDB prevê que, oficialmente, o governador e Cabral ingressem na campanha à reeleição da presidente Dilma. Já os insatisfeitos com o PT trabalharão para eleger o candidato tucano a presidente, senador Aécio Neves (MG). O motivo do descontentamento é a pré-candidatura do senador Lindbergh Farias ao Guanabara. A opção de Pezão e Cabral em respeitar a aliança nacional PMDB-PT foge da unanimidade. Liderado pelo presidente regional, Jorge Picciani, o grupo de descontentes que optou por pedir votos para Aécio quer colocar nas ruas material de campanha associando os dois candidatos. O movimento é chamado “Aezão”, em alusão aos nomes de Aécio e Pezão.

Após reunião do diretório na última quinta-feira, Cabral evitou falar da estratégia de ampliar o palanque de Pezão. Ele se limitou a tentar impulsionar a candidatura. Já o deputado federal Leonardo Picciani disse que foi colocado o desejo de parte da legenda em apoiar Aécio e até Pastor Everaldo:

— Não houve discussão do quadro nacional, foi focado na campanha estadual. Existe, por várias figuras do PMDB, o desejo de apoiar o Aécio, isso está colocado. O PSC faz parte da coligação do Pezão, do governo — disse Picciani, ao confirmar o desejo de uma aliança com os três partidos.

Além do PMDB, somente o PT e o PR de Anthony Garotinho conseguiram fechar apoios. O PT costurou aliança com o PCdoB e o PV, e o PR, com o PTdoB. O PROS, que lançou a pré-candidatura de Miro Teixeira, negocia uma dobradinha com o PSB. O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário