sábado, 5 de abril de 2014

Pezão toma posse como governador do Rio

Luiz Fernando Pezão (PMDB)  tomou posse como governador do Rio na manhã desta sexta-feira (04), na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Em seu primeiro discurso, Pezão agradeceu ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e disse que terá uma missão muito difícil ao substituí-lo.  ”O Sérgio Cabral é uma das pessoas mais generosas que conheço na vida.

O novo governador destacou a política de pacificação nas comunidades: “Hoje, ocupamos territórios em que as pessoas não acreditavam mais que a segurança pública entraria: Maré, Alemão, Rocinha. Em 2007, falei para o Sérgio Cabral que, se nosso mandato não servisse para mudar esses locais, ele não valeria nada. E hoje vejo que está valendo e muito. Sabemos que não vencemos a guerra. Ainda temos muito a fazer. Mas avançamos. E muito”, frisou.

Na área de saúde, Pezão destacou a criação das UPAs: “Na saúde, só nas UPAs são 22 milhões de atendimentos. Temos hospitais de referência: Hospital da Mulher, Hospital da Criança, Hospital Alberto Torres, em São Gonçalo; Rio Imagem, o Instituto Estadual do Cérebro. E já foi aprovado o Hospital de Oncologia, em Nova Friburgo. São mais de 80 mil funcionários públicos concursados. Tenho orgulho imenso de minha trajetória e da minha carreira’, disse.

O governador encerrou o discurso destacando que o “mandato é para todo mundo”. “Mas, especialmente, para as pessoas que mais precisam. Vamos continuar com nosso lema que mudou o Rio de Janeiro: somando forças. Viva o Rio e vamos ao trabalho”, disse Pezão. Após a posse na Alerj, Pezão foi para o Palácio Guanabara, para receber oficialmento o cargo de Sérgio Cabral.

Lotaram o plenário vereadores, deputados, senadores aliados, além de secretários de governo e assessores. Na arquibancada, cerca de 20 pessoas estavam com placas como “Piraí agradece o apoio de Cabral”. Durante discurso, Pezão citou Sérgio Cabral, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff, o senador Francisco Dornelles (PP) e até o ex-governador Leonel Brizola. Quando o nome do político gaúcho foi citado, todos aplaudiram.

Colocou o Rio de volta ao protagonismo no desenvolvimento do país. Quando assumimos, em janeiro de 2007, investia-se R$ 2,3 bilhões em segurança pública por ano. Hoje, são R$ 9,1 bilhões”, disse Pezão. Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário