sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Câmara de São Francisco deve acionar justiça contra serviços de telefonia

Um apagão de comunicação com duração de aproximadamente 30 horas,  aconteceu na ultima terça– feira (14), no Município de São Francisco de Itabapoana, e  foi o estopim para que a Câmara de vereadores realizasse uma reunião para tratar do assunto. Os vereadores se reuniram na tarde desta quinta feira (16), no plenário da Câmara e discutiram sobre o atendimento precário na área de comunicação.

  Em São Francisco, o problema não está restrito as operadoras de telefonia móvel. Em Barra de Itabapoana, por exemplo, segundo o vereador Raliston Souza, o equipamento usado pela Oi para atendimento na telefonia fixa  é obsoleto e não atende a demanda “ eles tiram equipamentos usados de outras cidades e instalam pra gente em Barra de Itabapoana, a sucata que não serve pra outros, eles colocam pra gente” desabafou o vereador. O vereador Marquinhos de Santo Amaro também afirmou que na sua região,  além de não contar com telefones fixos, a telefonia móvel também não atende de maneira satisfatória. O vereador Zé Cherene também informou que na região de Santa Luzia, Deserto Feliz, Boa vista Italiana,Caldeirão, por exemplo, além de não contar com telefones públicos, os celulares também não funcionam “ se alguém passar mal e precisar de socorro, morre pois não tem como se comunicar” disse Zé Cherene. A vereadora Patrícia Cherene que também é comerciante no centro da cidade, e trabalha com tele- entrega, disse que durante o apagão da operadora vivo, o prejuízo para a sua loja foi grande “ não foi só a minha loja, vários outros companheiros sofreram prejuízos e temos que ser ressarcidos por isso” finalizou Patrícia. Ao termino da reunião os vereadores solicitaram a procuradoria jurídica legislativa, uma análise do caso para promover, se for o caso, uma ação civil pública em face da concessionária vivo e outras operadoras de telefonia no município, objetivando indenização e melhorias nos serviços, além de comunicação do resultado da reunião aos órgãos competentes. – a responsabilidade por fiscalizar é do Governo Federal, da Anatel, mas se a gente ficar de braços cruzados, os serviços nunca vão melhorar, se for preciso acionar o Ministério Público Federal, que seja feito, o que não pode é continuar assim - disse o presidente da Câmara Claudinho Viana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário